quarta-feira, 16 de setembro de 2015

O Panda e Os Caricas

Olá,

Inspirando-me nas palavras do blogue “A mãe é que sabe”, decidi escrever sobre o tema O Panda e Os Caricas. Peço desculpa à autora do post pois não concordo nada com a análise feita. Mas não fique chateada porque na realidade até me fez rir bastante.

Aceito todas as opiniões, e todas são válidas, mas não podia ficar de dedos cruzados sem defender os adorados amigos do meu filhote. E pelos vistos não é só o Tomás que adora este grupo mas os seus amiguinhos todos do reino dos Bu Bebés também.

O Panda e Os Caricas são um grupo infantil e, por esse motivo, têm de ser….infantis. Acho que têm tudo para serem um sucesso entre a criançada: músicas alegres e divertidas que ficam no ouvido, videoclipes cheios de cores e coreografias brincalhonas, atores extremamente competentes e que vestem a sua pele na perfeição e com um gozo enorme que se consegue ver nas suas caras. Nota-se que os atores estão felizes e que se estão a divertir ao máximo. E os pequenotes ficam felizes também. Não é essa a essência de um grupo musical infantil? Fazer as crianças felizes?

O Rei dos Bu Bebés tem 17 mesinhos e, quando chega a casa, a primeira coisa que faz é ir a correr para a sala e pedir para lhe colocarmos os vídeos do Panda e Os Caricas. Ui, mas isso é muito mau porque a TV só faz mal às crianças. Hum… sim, é verdade, mas não neste caso. Ora vejamos:  O Panda e os Caricas põem o meu gordinho a dançar à brava e nós (pai e mãe) dançamos imenso com ele também. Isto é ótimo porque ele gasta energia e nós gastamos calorias ahah, para não falar da sensação fantástica de estarmos os três a dançar e a aparvalhar em casa. Ele ri-se imenso e a animação das músicas deixam-no feliz. Só estes motivos já são suficientes para eu adorar ter as músicas a tocarem vezes e vezes e vezessss sem conta.

Adoro os personsagens Clarinha, Matias, Pipa e Pedro porque são o “protótipo” dos meninos felizes que são muito amigos e adoram brincar na rua e que têm imensa imaginação. Ok que é protagonizado por adultos mas ninguém está a tentar enganar ninguém….nenhuma criança acreditará que são crianças de verdade. Mas o que interessa se são ou não são? O mundo das crianças é o imaginário e o que é real, ou não, pouco importa. O que importa é o que as faz felizes e tudo é válido na imaginação. Nem tudo tem de ter um motivo ou um "moral da história" e por isso existem músicas que são divertidas só porque sim.

Nota: A minha preferida é, pelos vistos, é a que mais irrita alguns adultos: A Clarinha. Aquela voz de desenho animado é um espectáculo!


Por isto, e por muito mais, é que vos digo: Sou fã dos Caricas! E o Tomás também… Parabéns à equipa! 

A mãe do Rei dos Bu bebés